Existem vários índices, dentro da distribuição de energia elétrica, que demonstram a qualidade do fornecimento por parte das concessionárias. Alguns destes índices são: DEC e FEC, indicadores de continuidade coletivos, e DIC e FIC, indicadores de continuidade individuais. Estão presentes nas contas de energia elétrica de todos consumidores e expressam dados técnicos que podem ser utilizados para avaliações sobre as interrupções no fornecimento de energia elétrica. Estes dados devem permanecer dentro dos valores estabelecidos pela ANEEL, que atribui penalidades para as empresas que os descumprem.

Hoje em dia, com a fiscalização mais rígida da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), manter os índices de fornecimento de energia elétrica dentro dos valores estabelecidos pode reduzir drasticamente os custos de compensações de cada concessionária. Para se ter uma ideia, no ano de 2016, o valor total de compensação de todas as concessionárias de energia elétrica do Brasil chegou a R$ 386.210.778,52, conforme tabela retirada do site da ANEEL. Além de prejudicar financeiramente, esse descumprimento também prejudica a imagem da empresa diante dos consumidores.

Estes gastos exacerbantes, mostrados acima, e que as concessionárias de energia elétrica enfrentam em função destes índices de controle de continuidade, são apenas parte dos problemas acarretados pelos desligamentos programados e pela falta de manutenção nas redes de distribuição.

Desta forma, através da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia, a FEERGS iniciou um projeto, em parceria com o Institutos Lactec, para desenvolver uma metodologia e um ferramental técnico que pudesse minimizar consideravelmente tais problemas.

O projeto, intitulado como “Desenvolvimento de metodologia e ferramental para manutenções em linha energizada em redes de distribuição” resultou em um conjunto de ferramentas e procedimentos desenvolvidos para a realização de serviços de substituição de condutores nus por cabos protegidos em redes de distribuição de média e baixa tensão com a rede energizada.

A inovação deste projeto caracteriza-se pelo fato de que as atividades propostas pelo projeto serão executadas com a rede energizada, o que o diferencia das demais metodologias usuais.

Atualmente, para realizar a substituição de condutores em uma rede de média e baixa tensão é necessário o desligamento das mesmas, o que implica diretamente no aumento dos indicadores DEC,FEC,DIC e FIC, entre outros.

Portanto, a ideia de recondutoramento energizado vai de encontro com a minimização de perdas tanto energéticas como financeiras, sem deixar de lado os procedimentos de segurança utilizados nas metodologias usuais.

Deixar um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *.